sexta, 20 de julho de 2018

PUBLICIDADE Master House TOP Banner 2

Essas franquias não sentiram a crise de 2015

22, mar 2016

A crise pegou muitas empresas de surpresa em 2015, mas algumas conseguiram se manter fortes.

Em tempos de recessão econômica, empresários de todo o país precisam se desdobrar para não entrarem em um cenário desanimador. No malabarismo entre os números da inflação, que sobem cada vez mais, e os das vendas de alguns serviços e produtos, que se apresentam em queda, algumas redes de franquias perseveram e se mostram sólidas e com bons resultados. Confira algumas das redes que não sentiram os efeitos da crise.

PUBLICIDADE

Carregando Galeria
Carregando Galeria...
Menu
Essas franquias não sentiram a crise de 2015 TRC Sustentável
TRC Sustentável

TRC Sustentável

Diante de tantos problemas hídricos em 2015, a TRC Sustentável, rede de franquias que realiza projetos de gestão de água, com foco voltado à sustentabilidade, tornou-se uma boa opção de investimento. “No ano passado, comercializamos 19 unidades, 56% a mais em relação a 2014”, revela Anderson Silva, diretor executivo da marca.

Essas franquias não sentiram a crise de 2015 SMS Digital
SMS Digital

SMS Digital

Com 150 unidades e lucro médio mensal entre R$ 3,2 mil e R$ 4,5 mil, a empresa é especializada em marketing por mensagem de texto. Somente em 2015, a rede aumentou em 25% seu volume de vendas. Até o final de 2016, a expectativa é atingir um crescimento de 50%. A projeção positiva se deve à conquista do vice lugar na classificação nacional de marca por segmento na área de Comunicação, Informática e Eletrônico, apontada pela ABF.

Essas franquias não sentiram a crise de 2015 Gigatron
Gigatron

Gigatron

Conhecida por seus serviços na área de TI, especialmente no que se refere a softwares, a rede está no mercado brasileiro desde 1998 e no franchising há quatro anos. Em 2015, o crescimento foi notável. Das 84 unidades da rede, 48 foram comercializadas no período, tendo o Nordeste como o grande impulsionador desse crescimento.

Essas franquias não sentiram a crise de 2015 CEBRAC
CEBRAC

CEBRAC

Em 2014, o faturamento da rede tinha sido positivo, atingindo a marca de R$ 150 milhões. No ano seguinte, o crescimento continuou em 15% e a expectativa é manter o ritmo. Somente no Paraná, a rede de cursos profissionalizantes vai inaugurar mais 14 unidades ainda este ano, tendo como  principais cursos os de Assistente Administrativo Completo, Atendente de Farmácia e Inglês.

Essas franquias não sentiram a crise de 2015 CTX
CTX

CTX

Com foco no mercado de vestuário masculino, em 2015 a rede cresceu 65%. Hoje, já são 16 franquias localizadas no estado de São Paulo, no Ceará e na Paraíba. O plano de expansão da franqueadora é chegar a 50 unidades até 2018.

Essas franquias não sentiram a crise de 2015 Seguralta
Seguralta

Seguralta

Pioneira em franquias no segmento de corretoras de seguros, a rede fechou 2015 com R$ 180 milhões somente em vendas de produtos e espera crescer 40% este ano. Mensalmente, suas unidades atendem em torno de 11 mil clientes, gerando uma média de 500 ao dia. No total, são mais 700 comercializadas em todo o Brasil, sendo 600 no modelo home based.

Essas franquias não sentiram a crise de 2015 Master House Manutenções e Reformas
Master House Manutenções e Reformas

Master House Manutenções e Reformas

No franchising desde o fim de 2014, a rede especializada em serviços de reforma e manutenção ultrapassou a meta, que era chegar a 30 unidades em 2015 – atingiu a marca 32 franquias. Em 2016, o objetivo é dobrar esse número, chegando a 60.

Essas franquias não sentiram a crise de 2015 Vinho & Ponto
Vinho & Ponto

Vinho & Ponto

Em nove meses no sistema de franquias, a rede, que torna o franqueado um canal de distribuição de mais 400 opções de rótulos de vinhos exclusivos da importadora, atingiu o objetivo traçado para todo o ano de 2015 e fechou mais de 20 novos contratos. A expectativa é conquistar 30 novos franqueados e se tornar a maior rede de lojas especializadas em vinhos na América do Sul.

Essas franquias não sentiram a crise de 2015 Alergoshop
Alergoshop

Alergoshop

A marca pioneira no segmento de produtos hipoalergênicos registrou crescimento de 25% em 2015. Segundo a rede, o destaque de seu crescimento foi para as unidades franqueadas que, apenas em dezembro, registraram crescimento recorde, de 132% com relação ao ano anterior. No varejo, tanto em lojas próprias, quanto em franquias, a marca teve uma média de crescimento de 73,8% no faturamento. Já no e-commerce, o aumento foi de 58%. A abertura de novas franquias será o principal fator de crescimento da Alergoshop durante o ano, que espera abrir mais 11 unidades franqueadas.

Essas franquias não sentiram a crise de 2015 Sr. Sorvete
Sr. Sorvete

Sr. Sorvete

Com um crescimento de 70%, 2015 foi um ano de amadurecimento e expansão da marca do interior de São Paulo. Durante o ano, rede inaugurou três novas unidades, chegando às cidades de Bauru (SP), Rio Branco (AC) e Uberlândia (MG). A previsão é fechar 2016 com 15 em funcionamento.

Essas franquias não sentiram a crise de 2015 GOU
GOU

GOU

A rede de franquia especializada em tratamento ortodôntico e clareamento dental, completa seis anos no mercado com um faturamento de R$ 42 milhões, chegando a 75 unidades em funcionamento. Seu principal mercado de atuação é o interior de São Paulo, onde muitos franqueados estão abrindo a segunda ou terceira clínica. Recentemente, inaugurou uma universidade corporativa para capacitação de franqueados, equipe de franqueados e colaboradores da rede.


Tags:

PUBLICIDADE


Copyright © TOP Franquias - 2018 - Todos os direitos reservados.
Algumas imagens podem ser marcas registradas dos seus respectivos proprietários.
Termos de uso e responsabilidade