segunda, 20 de novembro de 2017

PUBLICIDADE Franquia Oral Sin

Franquias que irão oferecer descontos na Black Friday

1, nov 2017

Evento tem conquistado cada vez mais espaço no varejo brasileiro e até empresas de serviços aderiram ao movimento, que chegou com força ao franchising

Ainda faltam alguns dias para a data oficial da Black Friday – dia 24, última sexta-feira de novembro –, mas muitas empresas já estão há dias e até meses trabalhando de olho no movimento. O evento ainda é recente no calendário do Brasil, mas já registrou 1,9 bilhão de reais em vendas somente em 2016 no país, um aumento de 17% em relação a 2015. A tendência é que esse número aumente bastante em 2017. Aliás, o sucesso é tamanho que se cogita duplicar a data em 2018. A Associação Brasileira de Lojistas de Shopping e a organização da Black Friday avaliam a realização de uma edição em setembro e outra em novembro.

PUBLICIDADE

Nos EUA, onde a data é uma tradição há muitos anos, é comum se deparar com enormes filas de pessoas que madrugam em frente a lojas diversas em busca de promoções que chegam a 90% sobre os valores originais dos produtos. Hoje, com o advento da internet e do omnichannel – estratégia de transformar o consumo em uma vivência única nas esferas virtual e física –, os e-commerces são responsáveis por grande parte das compras, não só das grandes redes varejistas. Para David Tifosi, CEO do grupo RDCommerce, ter um planejamento, saber exatamente o que irá fazer, como irá fazer e quando irá fazer pode ser o diferencial e a vantagem de se preparar bem para a Black Friday. “Ao antecipar-se, o lojista poderá focar seus esforços, nos dias que antecedem a ação, na gestão das promoções e em como alcançar mais gente, e não na criação da ação/campanha propriamente dita”, diz.

No Brasil, equipes de marketing e tecnologia têm se movimentado desde muito antes para que a experiência do consumidor valha a pena para ambas as partes. Embora há alguns anos as empresas tenham aproveitado a oportunidade para aplicar o “jeitinho brasileiro”, elevando os preços durante os dias que antecediam a Black Friday para que pudessem reduzir depois, especialistas apostam que isso já não aconteça na maior parte dos comércios e até prestadores de serviços. Para Cynthia Akao, sócia fundadora da WV_Todoz, hoje não há mais espaço para erros. “Muitas empresas já foram alvo dos consumidores mais críticos e inclusive do Procon. Para evitar esses problemas e não ser alvo de piada, antes de montar suas promoções saiba que há sites que monitoram os preços durante o ano todo, e que os consumidores podem usar para entender se há desconto mesmo ou se o desconto é forjado”, alerta.

Segundo Gastão Mattos, CEO da Braspag, empresa do Grupo Cielo, é preciso investir em tecnologia, segurança e logística, além de um atendimento impecável. “Há excelentes soluções de análise que, com o uso do big data, auxiliam o lojista a conhecer melhor o consumidor e o mercado no qual está inserido, de forma que possa realizar ações mais assertivas com estes clientes, de acordo com as suas necessidades e aumentando as chances de conversão”, pontua.

“A Black Friday é uma ótima oportunidade para o lojista de queimar seu estoque e aumentar sua base de clientes. Como os consumidores compram mais de marcas que se relacionam com eles, também é muito importante trabalhar bem a pós Black Friday, para que o cliente que entrou por meio dela, volte e compre cada dia mais”, conclui Tifosi.

O Portal TOP Franquias conversou com diversas redes para saber como estão se preparando para a Black Friday e quais serão as ações que farão para atrair consumidores e fazer a data se tornar obrigatória no calendário dos próximos anos. Veja abaixo.



PUBLICIDADE


Copyright © TOP Franquias - 2017 - Todos os direitos reservados.
Algumas imagens podem ser marcas registradas dos seus respectivos proprietários.
Termos de uso e responsabilidade