quinta, 19 de outubro de 2017

PUBLICIDADE Master House TOP Banner 2
Setor fitness cresce no mercado de franquias

Setor fitness cresce no mercado de franquias

21, maio 2017

Impulsionado pela preocupação com a saúde e o culto ao corpo, segmento tem registrado momento positivo e novas marcas chegam ao mercado

O culto à imagem e beleza, a satisfação de parecer bem diante do espelho e nas fotos postadas nas redes sociais e o desejo de envelhecer bem são alguns dos motivos do crescimento do setor fitness no país. Segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising), existem mais de 6 mil franquias relacionadas ao setor fitness, como academias, restaurantes, vestuário e calçados. O setor já representa 8% do total de franquias no país — em 2013, eram 3%.

De acordo com Eladio Toledo, sócio-fundador da US Franchising e consultor de franchising, o crescimento exponencial do mercado fitness demonstra uma maior preocupação do brasileiro em questões como longevidade e qualidade de vida, já que a cada ano estima-se que 1 milhão de pessoas completam 60 anos de idade no Brasil. “Hoje temos pesquisas sólidas que comprovam que uma vida saudável em vários âmbitos traz benefícios notáveis à autoestima, disposição e produtividade do ser humano. Por esse motivo, cuidar do corpo e da mente torna-se também uma premissa cada vez mais cedo e, diante desse quadro, é natural que o mercado busque soluções e serviços para atender e prolongar a jornada dessa grande parcela da população”, explica Toledo.

PUBLICIDADE

Segundo o especialista, esse “boom” fitness também tem influência de mídias sociais populares, como o Instagram, pelas quais personalidades famosas da TV e da própria Internet geram uma vitrine virtual com imagens e vídeos bem produzidos e voltados à cultura do corpo, alimentação e beleza. Dessa forma, todo esse conteúdo motivador, mas estrategicamente pensado no promocional, gera relevância e atrai muitos seguidores que querem atingir uma determinada estética projetada nesses posts.

Em 2010, o empresário Evando Simongini, iniciou pesquisas para entender o mercado de alimentação com a intenção de abrir um negócio no setor, e chegou à conclusão que o ideal seria abrir um negócio de alimentação saudável. “Percebi que uma das áreas em crescimento é o de alimentação saudável com preços justos. Esse era meu novo desafio e então surgiu a Internutri”, conta Simongini. Com um variado mix de produtos, como chás, óleos, sementes e castanhas, a primeira loja da marca foi inaugurada em 2010. Seis anos depois, entrou para o mercado de franquias e inaugurou mais uma unidade da empresa. A expectativa é de que sejam inauguradas dez unidades ainda esse ano e 150 nos próximos cinco anos.

Para se tornar um franqueado da Internutri existem cinco tipos de negócio: Quiosque, que exige investimento de 85 mil reais; o modelo Café, em que o investimento é de 120 mil reais; o formato IceNutri, com investimento de 180 mil reais; e Mercado e Lanchonete, ambos com investimento de 250 mil reais. Há também a possibilidade de investimento nos quatro modelos juntos, o que requer um investimento de 450 mil reais. Para todos os formatos, segundo a empresa, é estimado um lucro de 17%.

Em 2004, os irmãos Tiago e Diego Diniz identificaram um nicho ainda pouco explorado no varejo brasileiro. À época, decidiram investir no segmento, abrindo uma das primeiras lojas de suplementação alimentar do país, em Osasco, na Grande São Paulo. Os produtos inicialmente ofertados eram clara de ovo desidratada, albumina, aminoácidos líquidos, hipercalóricos e hiperproteicos. Sob a bandeira Superman Suplementos Alimentares, a loja chegou a faturar 150 mil reais no primeiro ano de funcionamento e atingir a marca dos 300 mil por ano após quatro anos em atividade.

Segundo o sócio-fundador e diretor comercial, Diego Diniz, quando a empresa começou a observar esse bom momento e investimentos no varejo de saúde e bem-estar, a empresa estruturou e fundamentou ainda mais a cultura da rede de oferecer três pontos importantes ao mercado: mix, atendimento e custo-benefício. O marco inicial da nova fase foi a mudança do nome da empresa para Now Nutrição Esportiva. “Hoje possuímos o maior mix do mercado de nutrição, suplementação e bem-estar, ofertando todas as oportunidades de produtos que o cliente precisa. Com isso, conseguimos destaque entre os concorrentes diretos e no mercado fitness em geral”.

A rede possui atualmente 13 lojas, sendo nove próprias e quatro franquias. A expectativa da Now Nutrição Esportiva é atingir a marca de 25 lojas até o fim deste ano, dobrando, a partir disso, a cada ano, o número de unidades, chegando a 100 lojas em 2020. Entre as praças de maior interesse estão São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Para se tornar um franqueado da marca é necessário um investimento inicial de 200 mil reais, que geram faturamento bruto de cerca de 120 mil reais mensais.

As projeções para o setor fitness são favoráveis. De acordo com o relatório publicado pela MarketsandMarkets, há estimativa de que a venda de produtos Fitness/Wellness Nutrition poderá saltar de 23,8 bilhões de dólares (2013) para 33,6 bilhões de dólares em 2018. E o mercado de fitness, segundo dados de pesquisa da Euromonitor, deve movimentar 27 bilhões de reais até 2020 no Brasil. E, devido às projeções, o investimento nesse mercado é uma boa opção. “Acredito que diante desses diversos fatores, a tendência de consumo é favorável ao aumento da expansão do setor de franquias fitness que se encontram hoje entre estabelecimentos e produtos voltados à alimentação, moda, acessórios e também os serviços, como as academias que já estão se reinventando nos modelos de negócio para atrair todos os tipos de público. Mesmo assim, é importante frisar a identificação pessoal da área pelo empreendedor que deseja investir e sempre ponderar os riscos e oportunidades de cada segmento”, afirma o especialista em franchising Eladio Toledo.



PUBLICIDADE


Setor fitness cresce no mercado de franquias
Avaliação

Copyright © TOP Franquias - 2017 - Todos os direitos reservados.
Algumas imagens podem ser marcas registradas dos seus respectivos proprietários.
Termos de uso e responsabilidade